Santarém

Mais do que bela Santarém é verdadeiramente única!

Banhada pelo majestoso rio Tejo, Santarém, capital do Ribatejo e Scalabis para os romanos do antigo Império, esteve sempre presente nos principais momentos da história de Portugal: desde a entrada de D. Afonso Henriques na cidade em 15 de Março de 1147, até à partida, em direção a Lisboa, dos tanques comandados pelo Capitão Salgueiro Maia, na madrugada de 25 de Abril de 1974, que em poucas horas conquistaram um país livre e democrático.

A fundação desta urbe mágica e luminosa, situada a cerca de 80 km de Lisboa, está associada à mitologia greco-romana e cristã, reconhecendo-se nos nomes de Habis e de Irene, as suas origens míticas. Os primeiros vestígios documentados da ocupação humana remontam novecentos anos A.C.

A cidade e o concelho proporcionam múltiplas leituras do seu território. Na cidade, que se deve conhecer a pé, destacamos a s suas ruas e ruelas calcetadas e recortadas por desenhos medievais, onde em cada esquina, o visitante é atraído por templos construídos entre os séculos XIII e XV, que lhe conferem o epíteto de "Capital do Gótico" português. Templos esses com inegável valor patrimonial e com deslumbrantes histórias para contar.

Mas a "velha" Scalabis guarda outras surpresas, nomeadamente no local da antiga Alcáçova de Santarém – o Jardim das Portas de Sol, como seu Centro de Interpretação "Urbi Scallabis".

Do Jardim das Portas de Sol, considerado um dos principais polos de atração turística da cidade, podemos contemplar o rio Tejo e toda a beleza da Lezíria com prósperas terras agrícolas indefinidamente ligada à figura do campino, do toiro e do cavalo.

É uma cidade onde as tradições e as crenças se cruzam com a modernidade.